O puxão de orelha

Estive pensando sobre as possíveis causas que não me deixaram chegar ao meu objetivo ainda. Concluí que eu vivo em busca do momento perfeito. Fico me enganando, pensando que na semana que vem vai ser diferente, mas nunca é. Não dá para esperar a situação perfeita para começar a fazer o que é necessário. Parece óbvio isso, mas não é uma questão simples de lidar. Se assim o fosse, não haveria tantas pessoas tentando emagrecer neste mundo, não é mesmo?

Eu já me sabotei tantas vezes, que minha credibilidade pessoal está abalada. Não dá pra recuperar o tempo que perdi, mas dá para começar de novo. Chega de adiar meus sonhos. Chega de achar que as coisas têm de ser perfeitas.

"A perfeição é um conceito mentiroso e paralisante
que você deve abandonar urgentemente
se quiser viver de verdade." (frase do twitter)

Eu perdi o controle das porções que como. Os alimentos de exceção, voltaram a ser comuns na minha rotina. Toda semana eu invento mil desculpas para não me exercitar. Chega! Isso não está me levando a lugar algum. Aliás, está sim: está me levando para longe dos meus sonhos.

Se identificou?

Então é hora de se comprometer consigo mesma...

Meu retorno ao processo de emagrecimento

Por semanas eu fui um completo fracasso no meu processo de emagrecimento. Durante as últimas 6 semanas, eu me permiti 'esquecer' esse blog, a fanpage e tudo o que estivesse relacionado a disciplina obrigatória ou, do modelo de vida saudável a que me dispus há 2 anos atrás. Foi libertador não ter que prestar contas das escorregadas alimentares ou, ter que ser referência para as pessoas. Aliás, eu me sinto incomodada quando alguém me diz que sou um exemplo ou referência. Eu não quero ser exemplo ou referência pra ninguém. Primeiramente porque isso gera expectativas alheias (coisa que não estou disposta a conquistar). Segundo, eu sou humana. Estou aqui neste mundo, para superar a mim mesma, apenas! Por isso que eu escrevo quando sinto vontade, porque esse blog não é uma obrigação. Então, para as pessoas que me mandaram e-mail, querendo uma "satisfação", saibam: eu não sou obrigada a bater ponto aqui. Se assim o fosse, eu não precisaria mais trabalhar, certo?

Voltando ao ponto do abandono aos hábitos saudáveis: foram 6 semanas sem foco, comendo sem planejamento e não me exercitando regularmente. Se for relacionar ao peso, não tive maiores estragos, porque não passo mais dos 85 kg (graças aos céus). Mas o fato é, que esses dias, ao me olhar no espelho, vi um rosto cansado, abatido. Minha barriga estava inchada, minha calça apertada (e não era TPM). O fato é que de alguma forma, aquela olhada no espelho me trouxe de volta a realidade: "O que estou fazendo?" (pensei). "Hora de agir!"

“Um objeto em repouso, tende a permanecer em repouso. Em contrapartida, um objeto em movimento tende a permanecer em movimento” Isaac Newton 

O que vou colocar em prática?


Seguindo as orientações da minha psicóloga e do livro "Pense Magro", será necessário novamente, trabalhar meu cérebro para aceitar os novos hábitos que pretendo adotar para conseguir emagrecer o que falta. Tenho que dar um passo de cada vez. Por enquanto, ficará assim:


ALIMENTAÇÃO

Segundo a minha nutricionista, uma rotina alimentar saudável é tão ou mais eficaz em um processo de emagrecimento, quanto uma rotina hard core de exercícios físicos. Portanto, não adianta se matar de malhar e depois ir comer no MC Donald's, ok? 

Então, meu plano é marmitar (again). Leia sobre, AQUI.

Além disso, vou evitar: doce, refrigerante, cerveja e fritura de qualquer tipo.

Em breve agendarei retorno com a nutricionista, para pegar meu cardápio. 


EXERCÍCIOS

Como fiquei muitas semanas parada, vou retomar aos poucos para não sentir meu corpo tão cansado.

Terças e Quintas: "Corrinhada" de rua + Spinning.
Segundas e Quartas: Caminhada na esteira + Jump.

Dia 23 de abril, farei uma nova avaliação física, para retomar a musculação. Pretendo filmar, para que vocês possam acompanhar como será feita a minha rotina de treinos.

Estou gravando um vídeo dando maiores detalhes do meu retorno. Em breve estará no ar. Para acompanhar, siga o canal: clique aqui

O primeiro passo está dado. E bora tentar mais uma vez!

FitBloggers de Março | Obesidade x Libido e Sexualidade

De tempos em tempos eu recebo contato de mulheres me questionando sobre a questão da vida sexual após obesidade e eu sempre respondi individual e restritamente, porque era um assunto muito pessoal  e eu não estava pronta para dividi-lo no blog, mas agora, me sinto mais madura para falar sobre isso e, mês passado, uma das blogueiras participantes do projeto de blogagem coletiva, sugeriu o tópico, enviando a seguinte mensagem:


Após discutirmos bastante, resolvemos que essa questão era bastante comum entre as mulheres e que, deveríamos sim, quebrar o silêncio e falar sobre.

Querida leitora, durante o período de terapia, abordei esse tema inúmeras vezes com a minha psicóloga, porque ano passado, mesmo após ter eliminado mais de 20 kg, não tinha a menor vontade de fazer sexo (e olha o detalhe: sou casada!). Essa falta de vontade continuou persistindo, mesmo depois de constatar que minha autoestima estava ótima, sabe? Então vi que não era algo normal... Resolvi ir ao médico e ao ginecologista. Após alguns exames, compreendi que a minha falta de libido estava relacionada aos "Polipos Uterinos", que segundo eu entendi, é um problema que aumenta o fluxo da menstruação, cólicas, desconfortos durante o ato sexual, altera o tamanho do endométrio, que interfere na libido. Descobri que esse é um problema bem comum entre as mulheres e precisa ser tratado. No meu caso, um procedimento simples resolverá o problema.

Eu quis iniciar esse relato explicando sobre o problema uterino, porque sei que algumas pessoas têm preguiça de ler posts longos como esse. Portanto, antes de colocar a culpa da falta de apetite sexual na obesidade, verifique se não está com algum problema relacionado ao útero, hormônios, etc, ok?

Sabemos que a obesidade interfere no psicológico, sim... há até estudos que comprovam que o excesso de peso reduz a libido e prejudica diretamente o desempenho sexual. No auge da depressão, minha vida sexual ficou péssima. Mas conforme relatei no post "O casamento e o processo de emagrecimento", diálogo e amor do seu parceiro são partes fundamentais para o processo de cura.

Se você não tem um parceiro, tenha em mente que as mulheres são diferentes, portanto, tudo o que podemos fazer é trocarmos experiências, sem perder a consciência de que teremos de trilhar nossos próprios passos e descobrirmo-nos como mulheres livres, sexys e lindas que somos.

Eu fui criada sem rótulos, sem nomenclaturas, sem pudores; portanto, nunca tive nenhum tipo de neura para tirar a roupa e sentir prazer. As neuras, a culpa, o desconforto que você sente, pode estar diretamente ligada à abordagem que fizeram com você na infância, por isso, procure ajuda psicológica para se libertar, porque sempre haverá alguém que a achará perfeita do jeitinho que você é, mas para conseguir enxergar isso, será necessário que você mesma consiga ver...

Leiam as postagens das amigas:
Mude.me
Adeus, obesidade da Thamy
Meu Manequim 40

Com amor,

Cíntia Milanese
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...